Voltar ao blog Lidar com as pessoas
Rui Terroso CEO
Rui Terroso - CEO |

Lidar com as pessoas

1. Tudo assenta na interação com outras pessoas. A vida não é outra coisa se não um conjunto de relações: com familiares, com amigos, com fornecedores, com clientes, com colaboradores, entre outros.

 

Saber lidar com as pessoas é o mais complicado, mas também é o que permite que alguém progrida ou fique estagnado.

 

Quem não souber relacionar-se verá comprometidas as suas possibilidades de promoção e de obtenção de resultados.

 

 

2. Mostre respeito pelas opiniões alheias. Nunca diga a uma pessoa que esta está enganada. Convencido contra a sua própria vontade continua a ser da mesma opinião.

 

A critica é inútil porque deixa a outra pessoa numa posição defensiva e conduz à procura de justificações.

 

A critica é perigosa porque magoa o orgulho da outra pessoa, o seu sentido de importância, e isso desperta ressentimentos.

 

Somos seres emocionais mais do que racionais, por isso, a primeira coisa a fazer é conquistar o coração da pessoa e só depois a cabeça.

 

Através da critica, ainda que acertada, quase nunca se geram mudanças duradoura e consistentes.

 

Dizer a alguém que está errado é um desafio e desperta a sua oposição.

 

 

3. O único modo de sair a ganhar de uma discussão é evitá-la. Não se pode ganhar uma discussão: se a perder, já está perdida, se a ganhar, perdida está.

 

Nunca transforme um desacordo numa discussão. Não procure o confronto. Não se trata de ganhar a batalha intelectual, mas sim a vontade e o afeto de outra pessoa.

 

Dale Carnegie escreveu:

“Se o coração de um homem está cheio de discórdia e maus sentimentos contra si, não o pode atrair para o seu modo de pensamento nem com toda a lógica do mundo.”

 

 

E isso é o que acontece quando alguém tenta ficar por cima de outra pessoa. Quando se triunfa sobre o rival, fere-se o seu orgulho e a sua vaidade.

 

4. As chamadas de atenção de erros dos outros, devem ser feitos de forma indireta. E se tiver de corrigir, faça-o depois de um elogio.

 

Procure caminhos alternativos, para dizer sem dizer. O ressentimento gerado por uma correção efetuada de modo insensível pode durar muito tempo, ainda que tenha sido gerado com a intenção de alterar uma situação que assim o exija.

 

Antes de mais, permita que o outro salve sempre o seu prestígio. Nunca caia na tentação de ficar por cima de outra pessoa. Não fira o seu orgulho. Não a ataque. Ninguém gosta que lhe sejam dadas ordens, na melhor das hipóteses, faça sugestões.

 

E se tiver de ser mais direto, primeiro elogie algo bom do outro lado (que o tem) e depois passe ao assunto: por que razão o barbeiro ensaboa o rosto antes de passar a navalha?

 

E tente transmitir sempre a ideia de que os erros são fáceis de corrigir. Não os torne maiores só para parecer mais importante.

 

 

5. Elogie cada progresso. Seja caloroso na sua aceitação e generoso nos seus elogios.

 

Leve a que a outra pessoa se sinta importante e faça-o com sinceridade. Respeite e elogie as suas qualidades, e se for por algo em concreto, ainda melhor. Isso fá-la-á sentir-se bem e fá-la-á ganhar pontos face a outras pessoas, ao aumentar a sua perceção da credibilidade e da reputação própria.

 

A comida é o alimento para o corpo, o elogio é o alimento para o espírito. Mas, antes de mais, que o elogio seja autêntico. O reconhecimento é tão fácil de levar a cabo que não existe desculpa para não o fazer.

 

6. Se o sucesso nas relações pessoais tem um segredo, é a capacidade de valorizar o ponto de vista do outro e ver as coisas a partir desse ponto de vista.

Há que tentar sempre colocar-se no lugar do outro: em-pa-ti-a.

 

 

Em vez de dizer mal dos outros, deve fazer um esforço para descobrir por que fazem o que fazem e dizem o que dizem. Isso é muito mais proveitoso do que a critica, e daí surgem a tolerância e o entendimento.

 

Em vez de se preocupar em repreender alguém, tente indagar as causas que produzem as opiniões e os comportamentos da outra pessoa.

 

7. Não há nada mais lisonjeiro para outra pessoa que saber ouvi-la com atenção absoluta e num silencia ativo.

 

O desejo mais profundo do ser humano é sentir-se querido, importante, reconhecido. E saber ouvir com atenção cumpre essa função. Se for um bom ouvinte, terá ganho muito no mundo das relações pessoais.

 

Todas as pessoas cordeais, fizeram do ouvir uma arte. O melhor conversador é sempre aquele que sabe ouvir melhor.

 

Dale Carnegie também disse:

“Mostrar interesse genuíno pelos outros, ouvindo-os com atenção, não só lhe trará amigos como também pode criar lealdade à empresa por parte dos clientes”.

 

 

Voltar ao blog

Subscreva a nossa

Newsletter

e descubra as nossas novidades e promoções mensais

A Living Tours utiliza cookies a fim de prestar o melhor serviço possível. Ao continuar a navegação, está a dar-nos o consentimento para usarmos os seus cookies. Pode ler mais informações na nossa política de privacidade.

Concordo