Voltar ao blog Causas Ambientais
LIVINGTOURIANOS COM CAUSA
Rui Terroso - CEO |

Causas Ambientais

Preocupamo-nos com o impacto ambiental e com a nossa pegada no meio ambiente, neste sentido estamos a trabalhar para a sustentabilidade ambiental:

 

Medidas e objetivos que desenvolvemos para reduzir o nosso impacto no planeta:

  • Parque de Bicicletas: Disponibilizamos um parque de bicicleta, trotinetes e motos nas instalações do Livingplex, impulsionando o uso de meios de transporte de e para o trabalho, menos poluidores do meio ambiente;
  • Transportes coletivos: Incentivamos igualmente o uso de transportes públicos nas deslocações para o trabalho, tendo sido uma preocupação na escolha das instalações junto de estações de metro, bus e autocarro, meio de transporte utilizado pela maioria da equipa Livingtouriana;
  • Viaturas Elétricas: Temos como objetivo a curto prazo substituir toda a nossa frota de viaturas, Vans de 9 lugares e Minibus por elétricos, este tipo de viaturas ainda não é disponibilizado no mercado, mas estará para breve, e assim que seja possível, substituiremos de forma gradual a toda a nossa frota com o objetivo de utilização de energias limpas e renováveis;
  • Energias Renováveis: Queremos igualmente introduzir painéis solares nas nossas instalações, para o abastecimento das viaturas, bem como para consumo de energia nas instalações da Living Tours;
  • Consumo eficiente de Águas: Estamos a estudar medidas que reduzam a utilização de águas - nas lavagens diárias das nossas viaturas;
  • Consumo responsável e consciente Energia: toda a equipa está ciente e orientada para evitar o desperdício de energia, como desligar os monitores dos computadores após o trabalho, ar condicionados e todas as lâmpadas;
  • Todos são responsáveis: Todo os colaboradores são responsáveis das folhas de papel que usam até os resíduos de maior dificuldade de reciclagem.
  • Resíduos e óleos Usados: Todos os nossos óleos e resíduos poluentes das nossas oficinas, são recolhidos e reciclados por uma empresa certificada ao abrigo do sistema integrado do licenciamento do ambiente
  • Reciclagem de Materiais Poluentes: Todos os materiais usados nas nossas oficinas são recolhidos pela empresa fornecedora dos materiais novos, para reciclagem ao abrigo do sistema integrado do licenciamento do ambiente

 

 

As mudanças climáticas são o grande problema ambiental que a humanidade terá de enfrentar durante a próxima década, embora não seja o único:

 

Resumiremos, alguns dos principais problemas ambientais em termos mundiais que devem ser resolvidos, conforme a própria ONU, durante a próxima década:

 

 

ADAPTAÇÃO E MITIGAÇÃO ÀS MUDANÇAS CLIMÁTICAS

O aquecimento global induzido pelas emissões de CO2 — que aumentaram conforme a ONU em 50% desde 1990 — está a acelerar as mudanças climáticas e ameaça a sobrevivência de milhões de pessoas, animais e plantas, pois provoca episódios meteorológicos, tais como secas, incêndios e inundações, cada vez mais frequentes e extremos. Este fenômeno obriga-nos a tomar medidas que atenuem os seus efeitos e nos ajudem a adaptarmos às consequências que, inclusive contendo o aumento do termômetro terrestre abaixo de 2 ºC como exigem os Acordos de Paris, permanecerão durante séculos.

 

OS PROBLEMAS DE POLUIÇÃO E O IMPACTO NA SAÚDE

A Organização Mundial da Saúde (OMS) estima que 90% da humanidade respira ar poluído e, consequentemente, procura uma redução da contaminação para reduzir o índice de doenças respiratórias, evitando assim sete milhões de óbitos/ano. A água contaminada também causa problemas importantes de saúde, além de cinco milhões de mortes anuais segundo a ONG Oxfam Intermón. A ONU defende eliminar as descargas de resíduos, minimizar o uso de produtos químicos e depurar mais quantidade de águas residuais, entre outras medidas.

 

A PROTEÇÃO DOS OCEANOS

Os mares tornaram-se os grandes aterros de plástico do planeta. Além disso, existem outros graves problemas ecológicos relacionados com os oceanos, como a deterioração dos ecossistemas pelo aquecimento global, os efluentes contaminantes, as águas residuais e o derramamento de combustíveis. A ONU advoga pela melhoria da administração dos espaços protegidos, defendendo que os mesmos tenham recursos suficientes, e pela redução da sobrepesca, da poluição e da acidificação dos oceanos causada pelo aumento da temperatura terrestre.

 

A TRANSIÇÃO ENERGÉTICA E AS ENERGIAS RENOVÁVEIS

Ao mesmo tempo que a energia significa 60% de todas as emissões mundiais de gases de efeito estufa (GEE), a ONU calcula que 13% da humanidade não tem eletricidade e que 3 bilhões de pessoas dependem dos combustíveis fósseis para cozinhar. Esta situação exige uma transição energética para um modelo mais limpo, acessível, eficiente e baseado no uso de fontes renováveis para formar comunidades mais sustentáveis, inclusivas e resistentes aos problemas ambientais, como as mudanças climáticas.

 

 

UM MODELO ALIMENTAR SUSTENTÁVEL

A produção intensiva de alimentos tem consequências nefastas para o meio ambiente ao empobrecer o solo e os ecossistemas marinhos. Além disso, a exploração excessiva dos recursos naturais colocou em perigo a segurança alimentar e o abastecimento de água potável. A ONU considera imprescindível uma mudança do modelo produtivo e de nossos hábitos alimentares, apostando em uma dieta mais vegetariana e com alimentos locais para poupar energia e emissões de CO2.

 

PROTEÇÃO DA BIODIVERSIDADE

Oito por cento das espécies animais conhecidas já desapareceram e 22% estão em perigo de extinção devido especialmente, à destruição dos seus habitats naturais, à caça furtiva e à introdução de espécies invasoras. A ONU alertou para terminar com estes indícios e preservar o nosso patrimônio natural, como é o caso das florestas que estão cada vez mais ameaçadas.

 

 

O DESENVOLVIMENTO URBANO E A MOBILIDADE SUSTENTÁVEL

O crescimento das cidades, que terão de acolher cerca de 5 bilhões de pessoas em 2030, será outro dos grandes desafios ambientais da década. As metrópoles do futuro deverão ser compactas, seguras, inclusivas, ecológicas e eficientes em termos energéticos, com mais áreas verdes, construções ecológicas e meios de transporte mais sustentáveis que deixem o trânsito em segundo plano, dando prioridade aos pedestres.

 

O ESTRESSE HÍDRICO E A ESCASSEZ DE ÁGUA

A falta deste recurso, vital para a sobrevivência humana, animal e vegetal, afeta mais de 40% da população mundial e, segundo o Fórum Econômico da Água, a agricultura representa mais de 70% da água utilizada nos países mais áridos do planeta. Um uso responsável dos recursos hídricos melhorará a produção alimentar e energética, além de proteger a biodiversidade dos nossos ecossistemas hídricos e ajudar-nos a frear as mudanças climáticas.

 

OS FENÔMENOS METEOROLÓGICOS EXTREMOS

O aumento da temperatura terrestre está a propiciar eventos climáticos cada vez mais frequentes, intensos e devastadores, como secas, furacões e ondas de calor. Manter o termômetro sob controle, como está sendo solicitado nas negociações de mais alto nível, e melhorar a nossa capacidade de resposta no caso de emergências climáticas são as chaves para minimizar o número destas catástrofes e aprender a nos adaptar e defender das mesmas.

 

O EXCESSO DE POPULAÇÃO E A GESTÃO DOS RESÍDUOS

A ONU prevê que a população mundial passe de 8,5 bilhões de pessoas em 2030, obrigando-nos a reduzir consideravelmente a geração de resíduos por meio de atividades de prevenção, redução, reciclagem e reutilização próprias da conhecida como economia circular, com o objetivo de minimizar seu impacto na saúde e no meio ambiente.

 

Voltar ao blog

Subscreva a nossa

Newsletter

e descubra as nossas novidades e promoções mensais

A Living Tours utiliza cookies a fim de prestar o melhor serviço possível. Ao continuar a navegação, está a dar-nos o consentimento para usarmos os seus cookies. Pode ler mais informações na nossa política de privacidade.

Concordo